NOTÍCIAS

Trânsito ideal – o que significa para você?

Conheça a visão de especialistas de diferentes áreas do trânsito e quais as medidas que podem melhorar a segurança nas vias

Publicado em
Trânsito ideal – o que significa para você?

O trânsito é comparado muitas vezes a um organismo humano: um complexo sistema cheio de peculiaridades que precisa de equilíbrio para funcionar corretamente. E, assim como os conceitos de qualidade de vida tão promovidos, buscamos o comportamento ideal para conservar essa harmonia. No que concerne à mobilidade, fatores como engenharia, monitoramento, controle de tráfego e legislação adequada fazem parte da construção de um trânsito melhor e mais seguro.

Pensando em disseminar informações úteis e práticas para enfrentar o cotidiano no trânsito e oferecer conteúdo diversificado para quem quer saber mais de como cuidar de sua segurança e de seus familiares, a Perkons lança o site Trânsito Ideal. A página oferece dicas sobre segurança viária e mobilidade urbana sustentável e estimula cada vez mais a pensar o trânsito nas cidades e nas rodovias para um presente e um futuro melhor. Há conteúdo para Condutores, Pedestres, Passageiros e Educadores. Mas como seria o trânsito ideal? Perguntamos a alguns dos especialistas mais respeitados no setor de trânsito do país: como seria o trânsito ideal para você? Acompanhe:

Dulce Lutfalla – Assessora da Diretoria de Operações da CET-SP e conselheira do Cetran/SP

 

“O trânsito ideal é aquele onde os diversos modos têm uma convivência harmônica, com preferência ao transporte coletivo e provendo a segurança, em especial, dos modos não motorizados: pedestres e ciclistas. É preciso formar técnicos que possam atuar, não apenas nas grandes cidades, mas também nas de médio e pequeno porte. A formação desses técnicos precisa estar embasada no conhecimento do ser humano, resgatando valores como a convivência na via pública, abandonada pela falta de segurança, inclusive viária.”

O que deve compor um programa de trânsito para que seja eficiente?

“Nesse sentido, o esforço legal tem dois objetivos principais: aprimorar a legislação e realizar a fiscalização. É por isso que o esforço legal está presente em todos os programas de segurança de trânsito. Destaco a Proteção ao Pedestre; Proteção ao Ciclista; Redução de Velocidade dos Veículos, em especial Motocicletas, em São Paulo”.

Deputado Hugo Leal (PSC –RJ) – Autor da Lei Seca

“O trânsito ideal parte de uma postura consciente de motoristas e pedestres, em defesa da vida. Essa postura inclui o respeito à legislação de trânsito, aos limites de velocidade e à proibição de beber antes de dirigir. Um trânsito seguro é sinônimo de qualidade de vida. O caminho para o trânsito seguro passa pela reeducação de motoristas. O Governo não pode tratar o problema viário de forma desvinculada das políticas de educação, mobilidade urbana e segurança. O trânsito é uma questão de saúde pública e deve ser encarado como prioridade em todos os níveis da administração pública. É fundamental uma política integrada de ações preventivas, envolvendo União, estados e municípios”.

Como o deputado contribui para que o trânsito ideal seja uma realidade no país?

“Tenho participado intensamente do debate para aprimorar as leis de trânsito e fiscalizar o seu cumprimento. Como deputado e cidadão, considero inaceitável a ideia de que as tragédias diárias ao volante sejam algo corriqueiro. É hora de modificar essa visão superficial que transforma colisões e atropelamentos em mera fatalidade”.

Tenente Coronel Israel Moura – Tenente Coronel da Polícia Militar de Pernambuco, é bacharel em Direito, especialista em trânsito e professor de Legislação e Direito no Trânsito.

“O trânsito ideal seria aquele em que a educação para o trânsito fosse prioridade. Ele teria que ser mais humano e educado. O tripé do trânsito é composto por engenharia, educação e esforço legal. E há tempos o país não se preocupa com a engenharia. Nossa produção é escoada pela malha viária, o que resulta na precariedade das vias, além de aumentar ainda mais o Custo Brasil. Como vamos ter um trânsito mais educado e cortês, se não temos educação para o trânsito? Todos os países em que escolas criaram cadeiras de educação para o trânsito tiveram diminuição nos índices de violência no trânsito”.

Que medidas são necessárias para elevarmos a discussão sobre a segurança no trânsito?

“Precisamos disseminar a educação de trânsito, criando uma política de Estado para a redução de acidentes e tratando o assunto com seriedade. Atualmente, faço isso de maneira filantrópica. Dou palestras, respondo a perguntas de ouvintes em uma rádio local, entre outros. Temos que formar cidadãos com consciência de um trânsito seguro. Hoje, nossas crianças têm consciência ambiental, política, mas não têm consciência de trânsito. E está no nosso código de trânsito que este é um direito de todos”.

Julyver Modesto de Araújo – Capitão da Polícia Militar do Estado de São Paulo, atual Chefe do Gabinete de Treinamento do Comando de Policiamento de Trânsito; Presidente da ABPTRAN – Associação Brasileira de Profissionais do Trânsito.

“O trânsito ideal deve proporcionar cada vez mais segurança. Precisamos de atuação eficaz e eficiente dos órgãos públicos, compreensão de todos os usuários da via sobre a importância da responsabilidade individual e necessidade de mudança de pequenas atitudes, além da busca de inovações que propiciem elementos seguros na engenharia viária e na engenharia automotiva”.

Como cada um pode contribuir para a melhoria na mobilidade?

“Pessoalmente, tenho procurado diminuir meu nível de permissividade no trânsito, em relação às condutas próprias e daqueles que estão próximos, que reflitam no grau de segurança viária. Na minha área de atuação profissional, venho desenvolvendo um trabalho cada vez mais intenso, de capacitação daqueles que atuam na área, para aperfeiçoar o serviço público prestado pelos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito”.

Lúcia Brandão – Engenheira Civil, especialista em trânsito. Consultora, especializada em segurança viária, docente e coordenadora de cursos de pós-graduação em engenharia de trânsito urbano e rodoviário.

“O trânsito ideal me parece ser o mesmo para todos: aquele em que há respeito mútuo entre os usuários, e cada um com o direito de ir e vir fisicamente garantido e expressamente seguro. Creio que antes de tudo, o Brasil deve capacitar seus técnicos para tomarem medidas mais acertadas sobre o sistema viário. Em segundo, implantar um sistema de controle de tráfego bem projetado, corretamente dimensionado e eficiente; e um sistema de sinalização viária capaz de ajudar seus usuários a reconhecerem as situações de risco, e a conduzirem seus veículos a velocidades compatíveis com cada situação de forma consciente e segura. E, por fim, implantar um amplo programa de fiscalização e cobrança de conduta, com punição mais efetiva, considerando que as leis já são suficientemente claras e abrangentes, além de diretamente aplicáveis”.

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.