NOTÍCIAS

Motocicletas – Potência e Infrações, por Renato Campestrini

NULL
Publicado em

    De tempos em tempos, programas de TV nos mostram as absurdas cenas de imprudência de condutores com motocicletas esportivas e de alta cilindrada em rodovias pelo país afora que tem como hobby ultrapassar o limite de velocidade estabelecido.
    Quando não a TV, uma simples busca pelo Youtube, nos mostra os “feitos” dos filhotes de Valentino Rossi, Casey Stoner e outros pilotos de Motovelocidade em rodovias abertas à circulação. Como regra, as motocicletas envolvidas nos vídeos, possuem cilindrada acima de 600 centímetros cúbicos, mais de 100 cavalos de potência, e os tais condutores utilizam equipamentos de segurança de marcas de renome e preços impraticáveis para a grande maioria da população, no entanto, o sucesso que de uma forma ou de outra os leva a possuir os bens que possuem (que indiretamente indicam ser os protagonistas pessoas com certo nível de cultura), não se traduz na capacidade de respeitar regras de convivência em sociedade como respeitar limites de velocidade.
    Não há nada de mal em possuir uma motocicleta com preço acima de 30 mil reais, e que ultrapasse com facilidade os 300 quilômetros horários, desde que o condutor que deseje fazer isso o faça em locais próprios como em autódromos, e que a única vida em risco em caso de acidentes seja a do próprio condutor ou daqueles que compartilham na pista o mesmo gosto pela velocidade.
    Será que em algum momento, os ases do guidom têm consciência que uma motocicleta em alta velocidade ao colidir com um automóvel, pode acarretar sérias consequencias, como a morte de seus ocupantes? Que uma queda e eventual impacto em defensas metálicas, ainda que protegidos com seus valiosos macacões de pele de canguru podem levar a amputações, ou quando não, ser fatal? Que uma ultrapassagem pela direita pode ser a causa de um grave acidente?
    É inútil elencar valores e pontuação acrescida ao prontuário quando tais condutores são flagrados em condutas como as aqui descritas e gravadas em vídeos disponíveis na internet, mas em nome da segurança de todos, é preciso dar um basta nessa situação. A tecnologia hoje existente, que possibilita a filmagem dos absurdos cometidos, pode e deve ser utilizada como meio apto a punir os infratores, assim como todos devem denunciar às autoridades, locais em que determinadas ações são praticadas, para que vidas sejam preservadas e as viagens de passeio de diversas famílias não se tornem tragédias ocasionadas por puro exibicionismo de alguns.

Renato Campestrini
Advogado
Especialista em Trânsito

COMPARTILHAR

Veja

também

Chuva e neblina podem comprometer a segurança no trânsito

Aumento nos combustíveis pode diminuir número de veículos circulando

Crianças e adolescentes por um trânsito mais seguro

Maio Amarelo mostra como cada pessoa pode salvar vidas

Cresce o número de mulheres motoristas profissionais

Tecnologia facilitando a vida dos condutores

Sinalizar corretamente um acidente evita mais vítimas e infrações

Volta às aulas exige cuidados redobrados com o transporte escolar

Cruzamentos ainda são locais com grandes números de acidentes

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.