NOTÍCIAS

Freios: Sabendo usar não vai faltar espaço para parar

por Luiz Roberto M. C. Cotti*

Publicado em
Freios: Sabendo usar não vai faltar espaço para parar

Parar uma motocicleta em movimento não é uma operação tão simples quanto parece. A grande maioria delas possui acionamentos de freios independentes e para reduzir a distância de parada é preciso usá-los corretamente.

São três os sistemas de freios de uma motocicleta: 
– Dianteiro (acionado pelo manete) 
– Traseiro (acionado pelo pedal);
– Motor (acionado pela redução das marchas).

A melhor condição de frenagem é alcançada no limite de travamento das rodas, o que requer o acionamento simultâneo e dosado dos freios. A partir do momento em que a roda trava e o pneu passa para uma condição de escorregamento (derrapagem), a desaceleração é menor e a dirigibilidade quase zero.

Durante a frenagem, o peso da motocicleta é transferido para a roda dianteira, consequentemente aliviando o peso sobre a roda traseira, razão pela qual o sistema de freio dianteiro é sempre mais potente do que o traseiro.

Do momento em que o motociclista identifica ou prevê o perigo e decide frear, até o momento da parada, a motocicleta percorre um espaço chamado “Distância de Parada – DP” que é a soma de duas outras distâncias: “Distância de Reação – DR” e “Distância de Frenagem – DF”.

A “Distância de Reação – DR” é o espaço percorrido pela motocicleta desde o momento em que o motociclista percebe o perigo até o momento em que aciona os freios. Varia em função das condições do motociclista. Estudos indicam que este tempo médio de percepção-reação, para motociclistas em condições normais, é de 1 segundo. A ingestão de bebidas alcoólicas, drogas e medicamentos alteram o estado psicológico e físico do motociclista, aumentando significativamente o tempo de percepção-reação. O cansaço, a preocupação, o estresse, a tristeza, a depressão, a sonolência, também representam fatores de risco, pois reduzem os reflexos e aumentam consideravelmente o tempo de percepção-reação.

A “Distância de Frenagem – DF” é o espaço que a motocicleta percorre desde o momento em que o freio é acionado até o momento em que ela para totalmente. Varia em função da velocidade, da condição dos pneus e freios, do tipo e condições do piso.

A escolha é sua: ou utiliza corretamente os freios e mantém uma distância segura do veículo que segue à sua frente, ou logo vai se envolver em algum acidente.

 

*Luiz Roberto M. C. Cotti
www.sobrevivencianotransito.com.br
Extraído do livro “Sobrevivência no Trânsito: uma questão de atitude” – Módulo Motocicletas. (Autor: Luiz Roberto M. C. Cotti)

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.