NOTÍCIAS

Cuidado com a moto!

por Renato Campestrini*

Publicado em

Em um final de semana, ao deixar de motocicleta o estacionamento de uma igreja que freqüentamos, quando a velocidade na melhor das hipóteses era 10 Km/h, minha esposa e eu ouvimos de uma senhora, com ênfase, a frase dela para sua neta: – Cuidado com a moto!

Aos olhos de uns, pode parecer exagero, para outros, retrata bem o nível de preocupação e repugnância que nós motociclistas passamos para a sociedade, independentemente de quem seja o condutor do veículo. Para aquela senhora, sem dúvida alguma, a motocicleta representa um risco, mesmo ali no estacionamento a 10 Km/h. Para este subscritor, suas palavras naquele momento, soaram como exagero, porém…

Deixamos o estacionamento, e ao acessar a primeira via à direita, com sentido único de circulação, flagramos um casal de motocicleta a transitar na contramão de direção, sendo que essa via é trajeto de ônibus do transporte coletivo e além de cometer uma infração, eles estavam em risco. Dei sinal para aquele condutor sobre a irregularidade e fui agraciado com um dedo, sim, aquele mesmo, como se nós estivéssemos errados. Lembrei-me da senhora e seu: – Cuidado com a moto!

Mais um pouco de nosso percurso e nova surpresa, um cidadão, com sua motocicleta on-off road, não quis contornar uma rotatória para chegar em sua residência. Sem parcimônia, subiu no passeio, pela contramão e veio até a entrada de seu condomínio, oras, era um sábado à tarde, poucos pedestres, porque seguir as regras de circulação e conduta?

Posteriormente, ao chegarmos a uma interseção semaforizada formada por uma grande avenida e uma via coletora, mais um estimado motociclista, possivelmente com necessidades urgentes, deu o seu jeitinho e “vupt”, cruzou com o sinal vermelho, não só naquela interseção, mas também outra localizada pouco adiante.

Durante nosso trajeto, de pouco mais de oito quilômetros, além das situações narradas, vislumbramos outras duas, só existindo o respeito por parte de motociclistas em locais com a presença de Agentes da Autoridade de Trânsito ou Policiais Militares, ou ainda, diante de equipamentos de fiscalização eletrônica. Não precisamos dizer que isso precisa mudar para o bem de todos.
Todas as ações que elencamos até o momento, não são exclusividade desta ou daquela cidade, mas retrata uma triste realidade que vivenciamos.

A motocicleta como meio de transporte, “explodiu” no país, ela está presente de maneira direta ou indireta em quase todas as famílias, todavia, a prática de condutas irregulares, se sobrepõe as corretas, a despeito de todas as ações educativas levadas a cabo pelos órgãos e entidades executivos de trânsito, e demais envolvidos na busca de um trânsito mais seguro.

O ponto crucial de toda essa narrativa é que no final das contas, aqueles que utilizam a motocicleta corretamente têm de conviver com propostas de sanções cada vez mais rigorosas, todas em nome da segurança no trânsito. Algumas dessas propostas não são descabidas, mas a colaboração dos motociclistas no cumprimento das regras é de essencial importância para preservar suas vidas. Parafraseando aquela senhora do início do texto: Cuidado com a motocicleta!

Aproveite sua motocicleta, mas principalmente, mantenha-se vivo!

*Renato Campestrini
Advogado. Especialista em Trânsito, Mobilidade e Segurança.

COMPARTILHAR

Veja

também

Inovação e Gestão Urbana: temas centrais do Perkons Connect

Segurança no trânsito em foco no Perkons Connect

Primeira edição do Perkons Connect será em São José do Rio Preto

Relatório de Transparência Salarial

Visão Zero é capaz de transformar a mobilidade urbana no Brasil

Maio Amarelo 2024: Paz no trânsito começa por você

Perkons destacará suas soluções inovadoras e impacto na segurança viária na Smart City Expo Curitiba 2024

Lei da Cadeirinha completa 16 anos

Celebrando o aniversário do Código de Trânsito Brasileiro: 26 anos de avanços e transformações

Um alerta para o risco das ultrapassagens indevidas

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.