NOTÍCIAS

Portos e aeroportos – Autoridade de trânsito

por Marcelo José Araújo*

Publicado em

Na Audiência Pública realizada na Câmara dos Deputados no dia 23/04, na qual fui palestrante, uma das coisas que chamei a atenção dos Parlamentares foi se eram atores principais ou coadjuvantes, vez que habitualmente o CONTRAN, Conselho Nacional de Trânsito, roubava sua competência legislativa ou os ultrapassava pelo acostamento, arvorando-se de competência que não lhe fora outorgada pela Lei. Vou dar um exemplo interessante:

A Lei 12.058/09 acrescentou no Código de Trânsito o Art. 7º-A com a finalidade de permitir que houvesse fiscalização em portos, justamente por não se caracterizarem como vias regulamentadas por órgão executivo de trânsito, porém, mediante convênio. Em resumo: na área interna dos portos há problemas de trânsito, mas para a fiscalização poder entrar e autuar infrações a Lei autorizou que se fizessem convênios entre a administração dos portos e o órgão de trânsito.

Art. 7º-A. A autoridade portuária ou a entidade concessionária de porto organizado poderá celebrar convênios com os órgãos previstos no art. 7o, com a interveniência dos Municípios e Estados, juridicamente interessados, para o fim específico de facilitar a autuação por descumprimento da legislação de trânsito. (Incluído pela Lei nº 12.058, de 2009)
§ 1o O convênio valerá para toda a área física do porto organizado, inclusive, nas áreas dos terminais alfandegados, nas estações de transbordo, nas instalações portuárias públicas de pequeno porte e nos respectivos estacionamentos ou vias de trânsito internas. (Incluído pela Lei nº 12.058, de 2009)

O mesmo problema ocorre nos aeroportos, tanto os administrados pela Infraero quanto aqueles que receberam concessão para administrar. O CONTRAN edita nesse mês de abril a Resolução 482/14 (www.denatran.gov.br – Resoluções) a qual estabelece que o ‘sítio’ aeroportuário é de responsabilidade do órgão de trânsito municipal!!! Para dimensionar o absurdo, o CONTRAN com isso mandou um recado ao Parlamento, ao Legislativo que ele foi ‘bobo’, ingênuo, perdeu tempo ao debater, avaliar e aprovar uma Lei para portos, pois com uma mera Resolução, singela, simplória, ele resolve o problema. Notem que tal Resolução sequer se dá ao luxo de reconhecer a validade de um convênio entre a autoridade aeroportuária ou concessionária com o órgão municipal de trânsito, e sim já diz que é do município. Daqui a pouco o CONTRAN faz uma Resolução dizendo que o município pode entrar na garagem da sua casa para autuar. Dilma, dá uma freadinha nos seus comissionados antes que aqueles que garimpam votos para representar o povo no parlamento percebam que estão levanto tesourada.

*Marcelo José Araújo
Advogado, Professor de Direito de Trânsito, Presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR

COMPARTILHAR

Veja

também

Inovação e Gestão Urbana: temas centrais do Perkons Connect

Segurança no trânsito em foco no Perkons Connect

Primeira edição do Perkons Connect será em São José do Rio Preto

Relatório de Transparência Salarial

Visão Zero é capaz de transformar a mobilidade urbana no Brasil

Maio Amarelo 2024: Paz no trânsito começa por você

Perkons destacará suas soluções inovadoras e impacto na segurança viária na Smart City Expo Curitiba 2024

Lei da Cadeirinha completa 16 anos

Celebrando o aniversário do Código de Trânsito Brasileiro: 26 anos de avanços e transformações

Um alerta para o risco das ultrapassagens indevidas

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.