NOTÍCIAS

População pode contribuir mais para mudanças no trânsito

Participação popular é apontada como importante, mas com algumas ressalvas: organização e conhecimento são fundamentais.
Publicado em

    Não é de hoje que a participação popular tem sido amplamente defendida por diversos setores da sociedade para a solução dos mais diversos problemas. Exemplo disso são os caras pintadas, o que teria contribuído para o impeachment de Collor, sem esquecer também da campanha das Diretas Já, que teria forçado as eleições diretas no Brasil.
    Mesmo engatinhando, a participação popular chegou ao trânsito nas mais variadas formas: protestos, denúncias, fiscalização e proposição de leis pela iniciativa da população. Segundo o engenheiro Artur Carlos de Morais, que também é doutorando em transportes pela Universidade de Brasília (UnB), a participação popular ainda se baseia majoritariamente em protestos para modificar algo de sua realidade, apenas. “As pessoas de um modo geral estão atentas a coisas pequenas, como um buraco na pista no seu trajeto diário, e por isso reivindicam, tiram fotos e enviam para redações de jornais, comentam no café da manhã; mas sobre a ponte que deve ser erguida em outro ponto da cidade e facilitar a vida de um sem número de pessoas, ignoram“, afirma Morais.


Para José Mario de Andrade, a participação popular é importante, mas é apenas a “ponta do iceberg“

&nbsp

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.