NOTÍCIAS

Personalidades, Álcool, Trânsito e os exemplos

NULL
Publicado em

AQUI COMO LÁ?

    Pegando carona no post de amigo Gabriel Padilla, que tratou do fracasso do Brasil na Copa de 2010 e a agressiva estratégia publicitária aliando as imagens dos atletas selecionados às bebidas alcoólicas, trago para debate a questão do exemplo das personalidades públicas e seu reflexo – positivo ou negativo – na formação do caráter de milhares de jovens que, exatamente por admirá-los, procuram imitá-los.
    É claro que todo cidadão tem direito à privacidade. Mas a privacidade de um anônimo é bem diferente daquela de quem escolheu, em nome da arte ou da vida pública, tornar-se uma celebridade. Ao fazerem essa escolha perderam definitivamente a opção de continuarem anônimos. Suas atitudes serão sempre acompanhadas e permanentemente exibidas e comentadas.
    É o preço que se paga pela fama, poder, glamour e reconhecimento.
    Aqui no Brasil há inúmeros casos e, só para ficar no campo do futebol, podemos citar os jogadores Ronaldo Fenômeno (caso dos travestis) e – agora – o goleiro Bruno do Flamengo envolvido no desaparecimento de uma namorada casual.
    Mas se há um segmento em que há muitos registros e a repercussão é mínima é o trânsito. Inúmeros casos de pessoas famosas envolvidas em irregularidades e crimes onde o instrumento da ação foi um veículo automotor, passam batido pelo noticiário e a repercussão é mínima.

Querem alguns exemplos?
    Como ficou o caso do “Edmundo Animal” julgado e condenado pela morte de 3 pessoas no trânsito no Rio de Janeiro ainda na década de 90?
    E como está o processo da van escolar que capotou na Linha Vermelha (RJ) após colidir com um veículo de reboque da prefeitura parado na via e que culminou com a morte de 4 crianças há um ano atrás?
    E o escandaloso caso de Curitiba onde um ex deputado, alcoolizado, em excesso de velocidade e com a CNH suspensa que trucidou dois jovens que ousaram cruzar seu caminho?
    E o cantor Renner, da dupla Renner e Ricky, que foi considerado culpado pela morte de um casal que circulava de moto e que foi atingido pelo veiuclo conduzido pelo cantor. Foi condenado, mas vem recorrendo seguidamente e agora foi lançado candidato a Senador pelo PR de Goiás! Desejo de ajudar o povo ou buscar imunidade?
    Mas em muitos paises acima do Equador e do outro lado do Oceano Atlântico a coisa funciona de forma bem diferente. O caso mais recente é o da cantora norte americana Lindsay Lohan que não recebeu um bom presente na festa de comemoração de seus24 anos. Além de um soco desferido por uma garçonete ofendida, a cantora recebeu a notificação para comparecer ao tribunal e conhecer a decisão da justiça por ter violado as regras de sua liberdade condicional.
    Lindsay, de 24 anos, chorou no tribunal (foto) quando a sentença foi lida. 90 dias de cadeia!
    A pena foi decretada por ela ter faltado às sete aulas de reeducação contra o alcoolismo, determinadas em seu processo de liberdade condicional.
    Lindsay deve se entregar às autoridades e começar a cumprir pena em 20 de julho. Ela ficará no Presídio Century Regional, em Lynwood, mesmo lugar no qual ficou detida anteriormente e para onde também foram as famosas Paris Hilton, Michelle Rodriguez, Khloe Kardashian e Nicole Richie.
    E olha que ela não matou nem feriu ninguém!
    Em 2007, Lindsay Lohan passou 84 minutos na prisão depois de ser considerada culpada de dirigir sob o efeito de bebidas alcoólicas e outras drogas. Condenada a três anos de prisão com liberdade condicional, teve a pena estendida em outubro de 2009 por deixar de completar o curso de educação sobre álcool.
    Agora, com a nova reincidência, não tem choro nem vela:CANA!!!!
    Ah… como seria bom se aqui fosse assim também…

Fernando Pedrosa
Especialista em Prevenção e Segurança no Trânsito e Associado TRÂNSITOAMIGO
Publicado no Blog do Amigo do Trânsito

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.