NOTÍCIAS

Para ser condutor precisa saber ler?

por Gerardo Carvalho*

Publicado em

O Art. 140 do Código de Trânsito Brasileiro preceitua que para conduzir veículo automotor e elétrico, além de ser apurado através de exames, deve o condutor preencher três requisitos. Ser penalmente imputável (ter condições físicas e psicológicas de responder penalmente pelos seus atos); saber ler e escrever; possuir RG ou equivalente.
Muito bem. Alguma coisa no que tange a leitura, na prática, precisa ser feito com urgência. A cada dia que passa aumenta o número de analfabetos no trânsito. Jovens, que estudam nos melhores colégios tiram 10 na Prova de Legislação. Quando entram no trânsito, tiram zero.
A palavra PARE passa a ser AVANÇA. A PROIBIDO estacionar, buzinar, virar à esquerda etc., leem: PERMITIDO. A de regulamentação: 60 km/h (velocidade máxima) é lido como 80, 100. Numa espécie de daltonismo, as cores vermelha e amarela viram uma só: verde. A sinalização está sob suas barbas e sua visão enturva. E quantos, por causa disso, já sobraram na curva? Quando não, perderam, bestamente, dinheiro, ceifaram a sua e a vida de muitos. E assim cada dia que passa, por medo, negligência, imperícia ou imprudência, vai grassando o analfabetismo no trânsito. Como filósofo, habituado a buscar as últimas causas, fico a questionar: o que faz com o que o ser humano queira tanto mal a si mesmo. Até os animais irracionais – se pudessem manifestar sua vontade – rejeitariam o mal para si mesmos. É inerente à própria natureza. Por que o homem nega a sua natureza? A resposta está dentro dele mesmo. Só precisa de uma ajuda externa: a educação. No dia em que nas escolas for ensinado a PENSAR desde o infantil (o maternal), cada um vai descobrir que não precisará mais de ninguém para dizer o que ele tem que fazer. Será autónomo. Um sonho que remonta a Sócrates (469 a.C.), quando criou a “maiêutica” (método baseado na ideia de que o conhecimento é latente na mente de todo ser humano, podendo ser encontrado pelas respostas a perguntas propostas de forma perspicaz. Isso é ensinar a pensar. Conclusão: enquanto não houver educação para o trânsito da pré-escola à universidade, continuará desaparecendo do chão brasileiro em média 40 mil pessoas anualmente, causados pelo analfabetismo no trânsito.

 

*Gerardo Carvalho (Pardal)
Professor, educador de trânsito e Jornalista
Gestor escolar

COMPARTILHAR

Veja

também

Inovação e Gestão Urbana: temas centrais do Perkons Connect

Segurança no trânsito em foco no Perkons Connect

Primeira edição do Perkons Connect será em São José do Rio Preto

Relatório de Transparência Salarial

Visão Zero é capaz de transformar a mobilidade urbana no Brasil

Maio Amarelo 2024: Paz no trânsito começa por você

Perkons destacará suas soluções inovadoras e impacto na segurança viária na Smart City Expo Curitiba 2024

Lei da Cadeirinha completa 16 anos

Celebrando o aniversário do Código de Trânsito Brasileiro: 26 anos de avanços e transformações

Um alerta para o risco das ultrapassagens indevidas

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.