NOTÍCIAS

Juventude, impulsividade e direção: a perigosa atração fatal

por Milton Corrêa da Costa*

Publicado em

As constantes notícias de tragédias, em rodovias e via urbanas, envolvendo jovens motoristas e seus acompanhantes, tornaram-se uma incômoda e triste rotina na barbárie do trânsito brasileiro e o recente depoimento do conhecido cantor sertanejo Leonardo, ao comentar em entrevista -o DENATRAN deveria aproveitar tal depoimento numa campanha educativa- o grave acidente que envolveu seu filho Pedro Dantas, chamou a atenção: “Sempre lhe recomendei que ao final de seus shows pernoitasse na mesma localidade, não importando se fosse uma simples pousada ou um hotel cinco estrelas. Mas sabe como são esses meninos”, Leonardo.
A polícia rodoviária suspeita que Pedro, que abraçou a carreira do pai e que faz dupla com o primo Thiago, filho do falecido cantor Leandro, tenha dormido ao volante quando voltava de Minas Gerais, já por volta das 07:00h da manhã, onde realizou um show na noite anterior, quinta-feira (19), tendo o veículo capotado na rodovia MG-452, próximo à divisa de Goiás e Minas Gerais. Pedro estava sozinho no carro e seu estado de saúde ainda é grave e com a força de sua juventude, com todos os cuidados médicos e a fé de todos nós luta para sobreviver.
Não há dúvida que os jovens, em seu período de formação social e de afirmação de personalidade, têm o perfil alicerçado na impulsividade, no desafio ao perigo, no comportamento competitivo exacerbado, na ilusão de invulnerabilidade. Muitas vezes tal perfil, transportado para o volante de um carro – quanto mais potente o veículo mais sensação de poder e falsa perícia- e quando associado ao uso de bebida alcoólica, energéticos, excesso de velocidade, manobras arriscadas, sono, cansaço, formam uma perigosa mistura explosiva, muitas vezes fatal.

CRESCEM OS ACIDENTES COM MOTOS
Os dados do Seguro DPVAT (Danos pessoais causados por veículos automotores de via terrestre) não mentem. Somente no Estado de São Paulo, no ano passado, foram pagas 44% de indenizações por óbitos no trânsito envolvendo jovens entre 18 e 34 anos, 53% por invalidez permanente na mesma faixa etária, conforme divulgado numa recente matéria de televisão. Com relação a motos, de acordo com o DPVAT, o número de acidentes, em menos de uma década, triplicou no país. As motos representam 30% da frota brasileira de veículos e foram responsáveis por 66% das indenizações pagas nos nove primeiros meses de 2011, envolvendo 72% de casos de invalidez permanente.

O ACIDENTE QUE MATOU SEIS JOVENS
Aqui também não custa lembrar que em janeiro deste ano, mais precisamente na madrugada de sábado (21), um gravíssimo acidente de trânsito apagou definitivamente a alegria e o sorriso de seis jovens, cinco moças e um rapaz, nos arredores de Brasília. As vítimas tinham entre 16 e 19 anos e voltavam de uma festa no Recanto das Emas. O carro capotou e caiu em um barranco na BR-070. Um ciclista encontrou os corpos, mutilados e sem vida, cerca das 6h30m da manhã. O motorista, um rapaz de 19 anos, e as passageiras, com idade entre 16 e 19 anos, foram arremessados para fora do veículo, que caiu de um barranco e capotou diversas vezes. As vítimas tinham saído da festa e passaram em um shopping de Taguatinga. De acordo com os bombeiros, todos os ocupantes do carro estavam sem o cinto de segurança, que tinha excesso de passageiros. O delegado que investigou o acidente disse que, segundo informações do padrasto do motorista, o jovem que conduzia o veículo modelo Astra pegou o carro sem avisar. Segundo a polícia, ele não tinha carteira de habilitação.

ENCONTRADOS CORPOS DE JOVENS DESAPARECIDOS
Na madrugada desta quarta-feira (25 de abril), a polícia resgatou o veículo e os corpos de quatro jovens encontrados submersos dentro do Rio Murici – o primeiro corpo havia sido resgatado horas antes junto a árvores próximas ao riacho. Os cinco universitários (três moças e dois rapazes) estavam desaparecidos há uma semana depois de saírem do Espírito Santo com destino à Bahia para uma festa de aniversário. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Teixeira de Freitas, ainda na Bahia.
O perito Alexson Magalhães informou que, no interior do veículo, foram achados documentos do proprietário e de objetos pessoais que conferem com os descritos por parentes dos jovens. Magalhães fez parte da equipe de quatro peritos da polícia técnica que participaram das buscas e da captura. Segundo ele, as vítimas que estavam dentro do carro utilizavam cinto de segurança no momento em que foram encontradas. Vejam que, se de fato o caso envolve tão somente um acidente de trânsito, nem o cinto de segurança foi capaz de salvá-los.
“Ainda vamos aguardar os resultados dos exames da necropsia, que poderão acusar algum sinal de violência nos corpos e levantar alguma suspeita de crime, mas, a princípio, trabalhamos com a hipótese de acidente, visto que o carro foi encontrado em uma distância muito grande do ponto de frenagem, o que pode configurar um excesso de velocidade, seguido de capotamento”, afirma.

PREMONIÇÃO
Que tais lamentáveis tragédias sirvam de exemplo para os jovens motoristas e seus acompanhantes. Crescem constantemente o número de famílias enlutadas e marcadas eternamente pela dor e tristeza em razão da violência e da imprudência no trânsito brasileiro. Outras madrugadas de tragédias no trânsito, principalmente nos de finais de semana e em longos feriados, virão. Triste e inevitável premonição. O carro continua sendo uma perigosa arma mortífera em mãos de motoristas imprudentes, jovens ou não. Até quando?

 

*Milton Corrêa da Costa
Coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro

COMPARTILHAR

Veja

também

Chuva e neblina podem comprometer a segurança no trânsito

Aumento nos combustíveis pode diminuir número de veículos circulando

Crianças e adolescentes por um trânsito mais seguro

Maio Amarelo mostra como cada pessoa pode salvar vidas

Cresce o número de mulheres motoristas profissionais

Tecnologia facilitando a vida dos condutores

Sinalizar corretamente um acidente evita mais vítimas e infrações

Volta às aulas exige cuidados redobrados com o transporte escolar

Cruzamentos ainda são locais com grandes números de acidentes

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.