NOTÍCIAS

Ir e vir. Dá pra melhorar?

NULL
Publicado em

    O trânsito que existe nas ruas, avenidas, vias expressas e rodovias da cidade de São Paulo e das cidades que lhe dão acesso, é caótico.  E isto não é nenhuma novidade, todos estamos cansados de saber, e mais cansados ainda, de conviver com este trânsito.  Os congestionamentos cada vez maiores e mais frequentes estão tornando as vias públicas, em determinados horários, mais estacionamentos e menos vias de tráfego.
    Mas, dá pra melhorar?
    Vamos ver! 
    Usamos como referência aqui, a capital paulista, mas o exemplo serve para todos os grandes centros urbanos.
    Destine alguns minutos e observe, numa destas vias, qual a quantidade de ocupantes que cada automóvel leva.  Você pode fazer isso da janela do local em que trabalha ou a partir do automóvel ou do ônibus em que viaja.  Provavelmente, com pouca diferença, você verá o mesmo que eu vejo todos os dias.  Ou seja, a maior parte dos automóveis tem apenas um ocupante.  A frequência é mais ou menos assim: de cada dez automóveis, cinco levam um ocupante cada – que é o próprio motorista -, três levam dois ocupantes cada e dois automóveis levam três ou mais ocupantes cada.  Na média, cada automóvel, leva um ocupante e oito décimos.
5 x 1 =                   5
3 x 2 =                   6
2 x 3 ou mais =  7   
            Total = 18 (pessoas) / 10 (automóveis) = 1,8 pessoas, na média, por automóvel.

    Tomando-se por base um congestionamento de dez quilômetros (ou 10.000 m), que aqui vamos considerar que fosse apenas de automóveis, para sermos mais objetivos em relação a esta pequena tese, teremos:

Automóveis
4 m = comprimento médio dos automóveis.
3,5 m = distância média, em função de que cada motorista deve manter espaço suficiente para que veja os pneus traseiros do veículo que vai à sua frente, em trânsito de parada e retomada.
7,5 m = total de espaço médio, em relação ao comprimento, que um automóvel ocupa na pista.
10.000 m / 7,5 m = 1.333 = quantidade média de automóveis no espaço de dez quilômetros.
1,8 = quantidade média de pessoas por automóvel.
1.333 x 1,8 = 2.400 = quantidade média de pessoas, dentro dos automóveis, no espaço de dez quilômetros.

Ônibus
12 m = comprimento médio de um ônibus coletivo.
3,5 m = distância média, em função de que cada motorista deve manter espaço suficiente para que veja os pneus traseiros do veículo que vai à sua frente, em trânsito de parada e retomada.
15,5 m = total de espaço médio, em relação ao comprimento, que um ônibus ocupa na pista.
10.000 m / 15,5 m = 645 = quantidade média de ônibus no espaço de dez quilômetros.
42 = quantidade média de pessoas, sentadas, que cabem dentro de um ônibus.
645 x 42 = 27.090 = quantidade média de pessoas, dentro dos ônibus, no espaço de dez quilômetros.

Comparação direta entre automóvel e ônibus
Num espaço de dez quilômetros:
    Os automóveis, pela média verificada, têm transportado: 2.400 pessoas
    Os ônibus levariam: 27.090 pessoas = 11,3 vezes a capacidade dos automóveis.
    Se tomarmos a quantidade média verificada de pessoas, levadas pelos automóveis, cuja ocupação da pista seja a de dez quilômetros, e a colocarmos nos ônibus – 2.400 (pessoas nos automóveis em 10 km) / 42 (pessoas por ônibus) x 15,5 m (comprimento ocupado pelo ônibus) -, a ocupação da pista seria de 0,886 quilômetro. 
QPA/10km / QPO x 15,5m = kmO
Ou seja: para o transporte de 2.400 pessoas, o ônibus ocuparia apenas 8,86% do espaço que o automóvel ocupa.
    Já, se tomarmos a quantidade de pessoas levadas pelos ônibus, cuja ocupação da pista seja a de dez quilômetros – 42 (pessoas por ônibus) x 645 (ônibus em 10 km) = 27.090 pessoas -, e a colocarmos nos automóveis com base em sua lotação média verificada – 27.090 (pessoas nos ônibus em 10 km) / 1,8 (pessoas por automóvel) x 7,5 m (comprimento ocupado pelo automóvel) -, a ocupação da pista seria de 112,9 quilômetros.
QPO/10km / QPA x 7,5m = kmA
Ou seja: para o transporte de 27.090 pessoas, o automóvel ocupa aproximadamente 1.129% do espaço que o ônibus ocupa.

QPA = Quantidade (média verificada) de Pessoas por Automóvel
QPO = Quantidade de Pessoas por Ônibus
kmA = Quilometragem com Automóvel referente à quantidade de passageiros dos ônibus em 10km.
kmO = Quilometragem com Ônibus referente à quantidade média verificada de passageiros dos automóveis em 10km.

    Numa comparação rápida entre automóvel e trem, considerando o mesmo trânsito referido acima, quer dizer, um congestionamento, cuja velocidade não ultrapassa a 20 km/h, 2.400 pessoas, em seus automóveis, percorrem a cada 30 minutos a distância de 10 km, e 4.800 pessoas a cada hora.
    Ao passo que o trem no sistema monotrilho, tomando-se como exemplo a Linha 2 Verde, Prolongamento Vila Prudente – Cidade Tiradentes, em São Paulo, se move a 40 km/h e transporta 48.000 pessoas por hora por sentido, num percurso de 23,8 km.  O que, para 20 km, levaria 40.336 pessoas por hora.  Ou seja, este trem tem 8,4 vezes a capacidade dos automóveis.  Além do que, deve-se considerar que as vias no sistema monotrilho são elevadas do chão a aproximadamente 12 e 15m, o que possibilita o trânsito de veículos e pedestres sob suas linhas.
    Paralelamente a isto, a frota de São Paulo não para de crescer.  Apenas considerando “automóveis””, segundo registro do Detran-SP, em jan-2000, eram 3,91 milhões.&nbsp

COMPARTILHAR

Veja

também

Pesquisa mostra que 43% dos usuários têm medo de usar transporte público no pós-pandemia

Perkons é uma das melhores empresas para trabalhar

Cidades apostam na Muralha Digital para gestão de trânsito e repressão a crimes

Perkons apresenta primeiro carro 100% elétrico da frota para manutenção dos equipamentos de Curitiba

Perkons e Prefeitura de Curitiba iniciam teste de equipamento que promete identificar condutores barulhentos no trânsito

Juntos salvamos vidas é o tema da Semana Nacional de Trânsito

Lombada eletrônica completa 30 anos e já ajudou a salvar mais de 80 mil vidas

Homens continuam a ser mais imprudentes no trânsito

Perkons, uma das empresas mais inovadoras do país, completa 31 anos

Chuva e neblina podem comprometer a segurança no trânsito

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.