NOTÍCIAS

Curitiba vai fazer campanha focada nos pedestres idosos

NULL
Publicado em

A Perkons entrevistou o diretor de Educação da Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba, Cassiano Novo, para saber se os motoristas curitibanos respeitam os pedestres e quais são as medidas para melhorar o respeito à faixa de pedestre.

PK – O que a capital faz para que os motoristas respeitem as faixas? Há fiscalização?
C.N – Fizemos abordagens educativas em alguns pontos, como a Avenida Sete de Setembro com a General Carneiro; Riachuelo com o Paço Municipal e Rodoferroviária. Percebemos que, durante a abordagem, há uma mudança de comportamento pela presença do agente de fiscalização. Houve também uma campanha em mobiliários urbanos (MUB´s) e Busdoor (mídia localizada na parte externa dos ônibus) com mensagens de respeito à faixa de pedestre. Este ano, teremos uma pesquisa sobre o comportamento de pedestres e condutores em relação às faixas, campanhas educativas e um projeto específico sobre pedestre, com foco no idoso, pois é o público com maior índice de atropelamento em Curitiba.

PK – Que tipo de estudo é realizado para definir a localização de uma faixa de pedestres?
C.N – São colocadas em cruzamentos e em esquinas onde se têm uma visualização melhor do pedestre e sua comunicação com o motorista. Em alguns pontos são colocadas no meio das quadras, quando você possui grande fluxo de saídas, escolas, shoppings etc. 

PK – Em que casos são implantadas faixas de pedestres e em quais opta-se por travessias elevadas?
C.N – Levamos em consideração as características da via: deve ser plana e não ter inclinação acima de seis graus, sentido da via. Onde tiver mais que sete metros de largura há necessidade de se fazer uma ilha para o pedestre atravessar em duas etapas. Se a via tiver sentido duplo, é obrigatória a presença da ilha.

PK – Existe algum tipo de punição (multa) para quem não respeita a faixa?
C.N – Sim, o artigo 183 diz que quem parar sobre a faixa estará cometendo infração média e multa de R$ 85,13. Já o artigo 214, diz que deixar de dar preferência de passagem a pedestre e a veículo não motorizado (que se encontre na faixa a ele destinada; que não haja concluído a travessia mesmo que ocorra sinal verde para o veículo; portadores de deficiência física, crianças, idosos e gestantes) é infração gravíssima, com uma multa de R$ 191,54.

Cassiano Ferreira Novo* é Diretor de Educação da Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba. Graduado em Psicologia, é perito Psicólogo Examinador de Trânsito, Especialista em Trânsito e Mestrando em Psicologia da UFPR.

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.