NOTÍCIAS

Acidentes de trânsito em 2011, uma previsão pessimista

por Rodrigo Kleinübing*

Publicado em

Como se não bastasse o absurdo do contingenciamento dos recursos do Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito, constituído principalmente por 5% da arrecadação de multas, com o objetivo de pagamento de juros da dívida da União, o DENATRAN teve reduzido em quase 60% o orçamento destinado às ações de prevenção aos acidentes de trânsito, passando de R$ 449 milhões em 2010 para R$ 197 milhões em 2011.
Com um aumento de aproximadamente 12% da população, 85% da frota e 26% de mortes no trânsito nos 8 primeiros anos da primeira década do novo milênio, esta medida se dá em um momento que o país experimenta um aumento nos já elevados índices acidentológicos de vítimas no trânsito, relacionado com o distanciamento do novo CTB (1997) e da lei seca (2008), entre outras causas.
Pior, esta infeliz iniciativa se dá na contra mão de uma tendência mundial, justamente no momento em que ingressamos no primeiro ano da Década de Ações de Segurança Viária, programa estabelecido pela ONU que tem como meta a redução de 50% das mortes e lesões por acidentes de trânsito e do qual o Brasil é signatário.
Segundo dados divulgados pelo Cesvi Brasil, até a Copa do Mundo de 2014 vamos contabilizar em torno de 150.000 mortes por acidentes de trânsito, além de 500.000 internações, o que significa para a economia R$ 140 bilhões em custos quantificados pelo IPEA, sendo imensurável a tragédia familiar e social que se estabelece. São estes números, na verdade, muito maiores, se considerarmos que as estatísticas não oficiais sinalizam em quase o dobro do número de mortes no trânsito.
A redução significativa dos já poucos recursos destinados às campanhas de educação, capacitação, projetos e pesquisas em uma área tão precária em termos de políticas de prevenção, nos permite afirmar que o país acaba de assinar por antecipação o atestado de óbito de milhares de brasileiros, vítimas de acidentes de trânsito em 2011.

*Rodrigo Kleinübing
Engenheiro

Originalmente publicado no site Portal Estradas em 10/01/2011.

COMPARTILHAR

Veja

também

Pesquisa mostra que 43% dos usuários têm medo de usar transporte público no pós-pandemia

Perkons é uma das melhores empresas para trabalhar

Cidades apostam na Muralha Digital para gestão de trânsito e repressão a crimes

Perkons apresenta primeiro carro 100% elétrico da frota para manutenção dos equipamentos de Curitiba

Perkons e Prefeitura de Curitiba iniciam teste de equipamento que promete identificar condutores barulhentos no trânsito

Juntos salvamos vidas é o tema da Semana Nacional de Trânsito

Lombada eletrônica completa 30 anos e já ajudou a salvar mais de 80 mil vidas

Homens continuam a ser mais imprudentes no trânsito

Perkons, uma das empresas mais inovadoras do país, completa 31 anos

Chuva e neblina podem comprometer a segurança no trânsito

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.