NOTÍCIAS

Troca do ônibus pelo carro impacta ambiente e trânsito

por Creso Peixoto*

Publicado em

A evolução da frota de qualquer tipo veicular tende a acompanhar a demanda.
Claro, quanto mais passageiros, maior volume de compra ou de terceirização de ônibus para os transportar.
A evolução de 6% da frota de ônibus diante da alta de 20% de habitantes na década indica que a busca pelo transporte coletivo, fundamental para mitigar de forma eficaz os graves problemas de mobilidade, regrediu.
A diferença de 14% corresponde migração para outro modal. Como não há outro modo de transporte coletivo na região, os passageiros buscaram o transporte particular, o mais impactante de todos em termos ambientais e de congestionamentos.   
Os fatos que geraram essa migração podem associar a imagem de que a compra do carro ou da moto é redenção, liberdade. Esses dados também deixam transparecer uma possível reprovação ao ônibus em função da demora e da não disponibilidade imediata que o automóvel e a motocicleta apresentam.
Faixas exclusivas de ônibus precisariam ser implantadas na cidade. Diminuiria mais o espaço para o automóvel. Contudo, começaria um incentivo ao ônibus.
Quanto ao aumento da frota, a de motos é um dado não só preocupante. É alarmante.
A motocicleta é um veículo de risco muito maior que o carro. A facilidade excessiva de compra associada ao erro que é o Estado aceitar a moto como táxi tem fomentado de forma indevida seu uso.
No geral, o aumento total da frota indica crescimento do índice de motorização, que está em 1,56 habitante por veículo. Isso explica a evolução da doença do congestionamento das vias ribeirão-pretanas nesta década. 

*Creso Peixoto
Professor do curso de Engenharia Civil do Centro Universitário Moura Lacerda, Mestre em Transportes

Originalmente publicado no jornal Folha de S. Paulo em 01/01/2011.

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.