NOTÍCIAS

Alerta: Motorista Responsável não teme radares… Certo?

por José Aparecido Ribeiro*

Publicado em

Motorista que cumpre suas obrigações não precisa se preocupar com multas de radares, certo? Em BH nem sempre
Os radares são necessários para frear os apressadinhos, evitar colisões e atropelamentos, isso ninguém discute. Porém, o que está acontecendo aqui em BH é que eles estão sendo instalados onde não precisa, costumam ficar escondidos atrás das árvores, mas onde eles são necessários, não estão.
O modelo utilizado é o “pardal”, que pune depois que a infração foi cometida. O que teoricamente não cumpre a função de evitar acidentes onde eles são recorrentes. O correto nestes locais seriam os radares do tipo barreiras ou lombadas eletrônicas. Outro detalhe é que os limites da cidade estão equivocados em 10KM/h para menos, com o intuito de pegar os motoristas desatentos e nem sempre imprudentes.
70% das multas por “excesso” de velocidade acontecem por uma diferença de 3 a 5KM/h. Quando vc é flagrado a 100, onde a velocidade é 70, tudo bem, ninguém reclama de pagar, pois é merecido. Mas quando vc é multado por uma diferença de 3 KM/h, o que seria pedagógico acaba gerando revolta, uma vez que vc não colocou a vida de ninguém em risco. A inércia de um carro costuma ser de 65 a 70km/h em inclinações leves.
A maior parte das multas por “excesso” de velocidade em BH acontecem entre 68 e 72KM/h. Essa regra vale apenas para os grandes corredores e não para as vias arteriais, onde a velocidade deve permanecer em 60KM/h. Em BH a velocidade de 60KM/h é única, até onde não poderia, já que muitas ruas não comportam dois carros emparelhados. Isso acontece também em alguns corredores que tem pistas muito estreitas e precisam de correções. O maior exemplo é a Av. Cristiano Machado, onde as faixas mudam de largura em vários trechos, confundindo os motoristas e colocando a segurança do trânsito em risco.
Radares são para punir os que cometem excessos, mas está pegando quem é cumpridor dos seus deveres, exclusivamente para atender os interesses arrecadatórios de Prefeituras e empresas contratadas que estão interessadas menos em pedagogia e muito mais em arrecadação.
Portanto, nenhum Cidadão de bom senso quer o fim dos radares, mas deseja que eles tenham função educativa para evitar os acidentes, sobretudo onde eles acontecem por excesso de velocidade.

 

*José Aparecido Ribeiro
Especialista em trânsito e assuntos urbanos da ONG SOS Multas Abusivas – Belo Horizonte – MG

Originalmente publicado no site Abetran em 18/03/2011.

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.