NOTÍCIAS

Acidentes. Fatalidades ou não?, por Tomas Dias

NULL
Publicado em

    Amigo motociclista, fico feliz por você estar lendo este artigo, ao mesmo tempo me sinto infeliz pelos colegas que não podem ler estas breves palavras por fazerem parte de uma estatística drástica que incluem motociclistas mortos em acidentes de trânsito em nossa Paranaguá. Estatística esta que nos deixa muito preocupados com a quantidade de acidentes e suas vitimas fatais envolvendo este tipo de veículo em nosso município.
    Você, motociclista prudente, sabe que os acidentes não acontecem e sim são provocados por pessoas imprudentes que desrespeitam o direito dos demais cidadãos de usar as vias de forma segura. Os acidentes de trânsito são evitáveis, pois se ocorre um acidente é porque alguém agiu de forma imprudente, negligente ou com imperícia. Como por exemplo, imprudência ao dirigir embriagado ou excedendo a velocidade. Ou então negligencia ao deixar de respeitar a sinalização ou usar o capacete solto na cabeça. E ainda imperícia, ao dirigir sem ser habilitado. Estas são algumas das ações que tem causado muitos acidentes e tirando muitas vidas.
    Os órgãos competentes elaboram normas e leis na tentativa de diminuir os acidentes através das punições como as multas ou a suspensão das carteiras de habilitações conforme prevê há doze anos o Código de Trânsito Brasileiro em vigor. Porém estas punições pouco ajudaram e os acidentes continuam em alta na sociedade.
    Definitivamente o que precisa mudar é o interior de cada pessoa, tendo respeito ao próximo, sendo cordial. O simples ato de planejar seu deslocamento saindo de casa com tempo de sobra com certeza não o fará ter pressa, e desta forma respeitará as regras de trânsito e passará a ser cordial no seu dia a dia.
    Motociclista, diante do momento de dificuldades que vivemos na mobilidade de todas as cidades, nos resta usar de mais prudência e usar todo conhecimento de condutor preventivo e assim conduzir defensivamente.
    Motociclista preventivo é aquele que ama a vida, utiliza o capacete com a viseira baixada e a cinta jugular firme no maxilar para proteger os olhos e a cabeça. Utiliza o farol da motocicleta aceso dia e noite para ser melhor visualizado. Conduz em baixa velocidade, não faz ultrapassagens irresponsáveis como, por exemplo, pela direita de qualquer veículo, principalmente de caminhões. Diminui a velocidade em todo e qualquer cruzamento de vias mesmo que seja sua preferência. E jamais dirige embriagado.
    Motociclistas e demais condutores leitores, devemos entender que eu e você, nossos filhos e pais, irmãos e amigos, todos enfim temos sonhos, e para nossos sonhos serem realizados dependemos de nossa mobilidade. Seja como motociclista, condutor de outros veículos, passageiros ou pedestres, precisamos estudar, trabalhar e ter lazer com segurança e não ter os nossos sonhos, os sonhos de nossos pais e irmãos interrompidos por atos irresponsáveis de condutores imprudentes.


prof. Tomas Dias

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.