NOTÍCIAS

SNT: coordenadora do Denatran fala sobre o tema e ações do órgão

Publicado em

assessoria de imprensa Perkons

Nas vésperas do início da Semana Nacional de Trânsito, a Perkons entrevistou a Coordenadora Geral de Qualificação do Fator Humano no Trânsito do Denatran, Rita de Cássia Ferreira Cunha. Ela trabalha há mais de dez anos no setor e desde maio assumiu a coordenação. Formada em psicologia e especialista em educação para o trânsito, ela conversou sobre os trabalhos no Denatran, o tema da SNT e os desafios na educação de trânsito no Brasil. Rita de Cássia é ainda coordenadora da Câmara Temática de Saúde e Meio Ambiente no Trânsito do Contran desde a sua primeira formação, em 1998, e assessora técnica do Diretor do Departamento Nacional de Trânsito.


Na sua opinião, qual a melhor forma de trabalhar educação de trânsito no Brasil?
Com relação às crianças, é fazer um bom trabalho nas escolas. É não pensar a criança como condutor, e sim como pedestre e como passageiro. É ensinar o respeito ao próximo e como se locomover neste espaço. A criança deve aprender como se portar como pedestre que ela é e mesmo dentro do veículo como passageira para sua própria segurança. O trabalho com adolescentes vai pela mesma linha, mas ele não gosta de receber as coisas prontas, ele gosta de questionar. Então é preciso fazer um trabalho levando informação para que ele possa refletir sobre sua atitude. Já os adultos precisam de campanhas contínuas que passem a informação principalmente para que esse adulto reflita seu comportamento. Não adianta dizer a ele apenas “”se beber não dirija””, você tem que fazer ele pensar nas consequências de seus atos, de como seu comportamento atingirá os demais.

Sábado começa a Semana Nacional de Trânsito 2010. Como foi a escolha do tema?
A escolha partiu da Câmara Temática de Educação para o Trânsito e Cidadania, do Contran. A partir de uma pesquisa, de uma consulta da Sociedade Brasileira de Ortopedia e também através do projeto do Denatran Trânsito Consciente, verificou-se a gravidade das lesões das pessoas que não usavam o cinto de segurança no banco traseiro. Especialmente os jovens de ensino médio não usam. Assim, foi feita uma proposta da câmara para o Contran com esta justificativa, e foi acatado. Lembrando que a cadeirinha também vai ser trabalhada na SNT.

&nbsp

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print
VEJA TAMBÉM

CTB completa 24 anos com crescimento e envelhecimento da frota nacional

No verão cresce o número de acidentes envolvendo ciclistas

Fugir do local do acidente é crime, mesmo quando não há vítimas

Brasil se mobiliza com ações em homenagem às vítimas de trânsito

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.