NOTÍCIAS

Regulamentação do mototáxi – sentença de morte

Apesar do crescente número de acidentes e mortes envolvendo mototaxistas em todo o país, tramita no Senado uma proposta de regulamentação da atividade.

Publicado em

Apesar do crescente número de acidentes e mortes envolvendo mototaxistas em todo o país, tramita no Senado uma proposta de regulamentação da atividade. Esta regulamentação abre espaço para que os motociclistas transportem pessoas, além de documentos, encomendas e comida.
A atividade de transporte de pessoas em mototáxi já existe, informalmente, em inúmeras cidades brasileiras, principalmente nas menores. Nas cidades maiores a prática é proibida.
A aprovação da regulamentação da atividade, em tramitação no Senado, no entanto, aumenta ainda mais o risco de acidentes envolvendo motos. Nos últimos dez anos, os acidentes com motociclistas cresceram 800% no país. Só na capital paulista, pelo menos um mototaxista morre todos os dias em acidente de trânsito.
“Regulamentar esta profissão seria uma falta de responsabilidade porque provavelmente ocorreriam ainda mais mortes nas ruas, em razão do aumento de pessoas em cima de motos”, afirma o diretor da Perkons, Walter Alberto Schause. “As estatísticas demonstram isso. Qualquer acidente com moto é mais grave e muitos dos clientes deste tipo de transporte andariam nas motos sem experiência, o que agravaria o quadro”, complementa.
A possibilidade de levar um carona segue o apelo de ganhar tempo nos horários de pico de congestionamentos. “Com uma pessoa na garupa, além da vida do motorista da moto estar em risco, a do carona também estará. O risco será dobrado”, diz Schause.
Já o senador Paulo Paim (PT-RS), em discurso no Senado no último dia 30, defendeu a aprovação do projeto e argumentou que a aprovação da proposição é essencial, permitindo que “gente simples que garante o sustento de sua família com a atividade” possa trabalhar de forma legal.
Em uma enquete realizada pela Perkons em sua página na internet, 37,5% das pessoas se declararam favoráveis à regulamentação da atividade de mototáxi e 62,5% contra, sob a alegação de que é muito perigoso.
No dia 25 de junho a ANTP lançou um manifesto contra a regulamentação da atividade. A ANTP qualifica como preocupante a omissão do Governo Federal em relação ao assunto e a aprovação da regulamentação pelo Senado. “É sobre o sistema nacional de saúde e sobre a previdência social que incidirão grande parte dos custos diretos e indiretos do previsível aumento de acidentes e mortes decorrentes da expansão deste tipo de `serviço` de transporte público”, diz a carta manifesto, assinada pelo presidente da ANTP Ailton Brasiliense Pires, e pelo superintendente, Marcos Pimentel Bicalho.
A carta faz um apelo aos secretários e dirigentes de transporte público e prefeitos para pressionar o Governo Federal a vetar a regulamentação. Na última notícia publicada no site do Senado sobre o assunto, dia 30 de junho, a informação é que a pauta de votações está obstruída por três medidas provisórias.

COMPARTILHAR

Veja

também

Relatório de Transparência Salarial

Visão Zero é capaz de transformar a mobilidade urbana no Brasil

Maio Amarelo 2024: Paz no trânsito começa por você

Perkons destacará suas soluções inovadoras e impacto na segurança viária na Smart City Expo Curitiba 2024

Lei da Cadeirinha completa 16 anos

Celebrando o aniversário do Código de Trânsito Brasileiro: 26 anos de avanços e transformações

Um alerta para o risco das ultrapassagens indevidas

“Lei Seca” completou 15 anos em 2023

Cinto de segurança: mais de 70 anos ajudando a salvar vidas

Inovações em segurança no trânsito ajudam a evitar sinistros

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.