NOTÍCIAS

Por que bicicletas públicas

por Cristina Baddini Lucas*

Publicado em

Um dos grandes problemas urbanos, comum às cidades de médio e grande porte, é o excesso de veículos nas áreas centrais das cidades, provocando engarrafamentos e poluição ambiental impactando negativamente a qualidade de vida das pessoas.
Existem inúmeras medidas que podem ser adotadas para reduzir a consequência destes problemas como, por exemplo, a restrição da entrada de automóveis em algumas áreas centrais, a criação de áreas de estacionamentos nos arredores dos núcleos urbanos, a implantação de sistemas integrados e eficientes de transporte público além da priorização dos meios ativos de mobilidade, como ciclismo e caminhada. Várias cidades já estão implementando programas para promover o uso de bicicletas públicas no transporte público com qualidade, provocando menos poluição além de favorecer a saúde física dos próprios usuários ciclistas.

1000 BICICLETAS EM SÃO CAETANO
Ainda no mês de setembro, a Prefeitura de São Caetano do Sul dará início ao serviço de bicicletas públicas na cidade. Os usuários poderão utilizar as bicicletas por uma hora e devolver em um ponto credenciado de forma gratuita. O serviço faz parte do Programa “Pedala São Caetano” e visa promover o transporte por bicicletas com qualidade e segurança. Inicialmente serão disponibilizados seis locais de retirada e entrega das bicicletas, mas a ideia é espalhar os pontos a 100 estações com 1000 bicicletas. O intuito do projeto é incentivar a prática de atividades físicas e o uso dos transportes não motorizados, reforçando os benefícios gerados para o meio ambiente e para a saúde da população.

A BICICLETA EM PORTUGAL
A professora catedrática Beatriz Pereira, do Instituto de Educação da Universidade do Minho, defende que cada aluno do 1º ao 9º ano de escolaridade receba uma bicicleta. Ela pondera que a medida proporciona um estilo de vida saudável, aumenta a atividade física diária, reduz os índices de poluição e fomenta o surgimento de desportistas em novas áreas, tornando os cidadãos mais resistentes, prevenindo doenças crônico-degenerativas e consequentemente reduzindo os gastos públicos com a saúde dos habitantes.
Beatriz Pereira confirma através de vários estudos recentes no Centro de Investigação em Estudos da Criança do Minho, que a sugestão das duas rodas não vem por acaso. Nos países nórdicos, onde há muito frio, vê-se de manhã pais e filhos a pedalar de casa até as escolas, regressando no final do dia.
A docente registra que a distância média do aluno português até à instituição de ensino é de três a cinco quilômetros e que não é preciso sequer a criação de trajetos específicos ou acessos especiais.
No entanto, há sim a necessidade de “educar para a segurança” principalmente os alunos e os pais, bem como os demais cidadãos, de forma a aprenderem a conviver e respeitar a circulação de bicicletas nas ruas e passeios, além de preparar os acessos particularmente junto às escolas.

BICICLETA É TRANSPORTE DE MASSA
Para o ex-prefeito de Bogotá (COL), Enrique Peñalosa, responsável pela transformação da capital colombiana na primeira cidade da América Latina a usar a bicicleta como meio de transporte de massa, a mudança deve ser radical com a transformação de todos os espaços para estacionamento de carros em vias exclusivas para ciclistas.
Segundo ele, nas grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, mais da metade da população vive a menos de cinco quilômetros dos seus locais de trabalho e que a questão maior é prover a infraestrutura necessária para as pessoas passarem a usar mais as bicicletas.
O ex-prefeito de Bogotá cita como bons exemplos a Holanda e a Dinamarca, porém, em sua opinião, paralelamente à restrição do uso de carros e vagas para estacionamento, deve-se melhorar substancialmente a estrutura para facilitar e promover a utilização bicicletas.

 

*Cristina Baddini Lucas
Assessora do MDT, colunista do Diario do Grande ABC (Coluna De Olho no Trânsito)

COMPARTILHAR

Veja

também

Perkons, uma das empresas mais inovadoras do país, completa 31 anos

Chuva e neblina podem comprometer a segurança no trânsito

Aumento nos combustíveis pode diminuir número de veículos circulando

Crianças e adolescentes por um trânsito mais seguro

Maio Amarelo mostra como cada pessoa pode salvar vidas

Cresce o número de mulheres motoristas profissionais

Tecnologia facilitando a vida dos condutores

Sinalizar corretamente um acidente evita mais vítimas e infrações

Volta às aulas exige cuidados redobrados com o transporte escolar

Cruzamentos ainda são locais com grandes números de acidentes

Nascemos do ideal por um transitar seguro e há três décadas nossos valores e pioneirismo nos permitem atuar no mercado de ITS atendendo demandas relativas à segurança viária, fiscalização eletrônica de trânsito, mobilidade urbana e gerenciamento de tráfego.

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.