Livro reúne estudos inéditos sobre comportamento no trânsito

16/09/2015

A obra aborda temas como civilidade no trânsito, uso de drogas por caminhoneiros e acidentes no transporte coletivo

Assessoria de Imprensa Perkons

Poliane Brito

Crédito: Divulgação
Livro reúne estudos inéditos sobre comportamento no trânsito

Por que agimos de maneira tão individualista no trânsito? Qual a razão de cometermos infrações mesmo sabendo que esse comportamento é inadequado? Como estimular o uso da bicicleta para deslocamento? O que leva alguns a conduzirem tão perigosamente? O livro Pesquisas sobre comportamento no trânsito, lançado no final de agosto, promete responder, através de estudos inéditos, a esses questionamentos.

Fábio de Cristo, um dos organizadores do livro e também pesquisador colaborador da Universidade de Brasília deu entrevista à Perkons e falou sobre a obra. De acordo com ele, a coletânea pretende “preencher uma lacuna importante nos estudos sobre comportamento no trânsito, especialmente por abordar temáticas ainda pouco exploradas do ponto de vista psicológico e comportamental e por sugerir implicações práticas dos resultados de pesquisa”, revela.

Pesquisa sobre comportamento no trânsito traz estudos inéditos da psicologia e de outras áreas que estudam a dimensão do comportamento no trânsito, como a engenharia, a arquitetura, a sociologia e a medicina, por exemplo. Fábio cita alguns assuntos tratados na obra que ilustram pontos ainda pouco abordados. “Destaca-se, por exemplo, um capítulo que relata uma grande pesquisa sobre o uso de drogas por caminhoneiros nas estradas brasileiras, uma tentativa de ter um diagnóstico da situação no nosso país. Mas o livro aborda também: civilidade no trânsito, acidentes no transporte coletivo, comportamento de risco de mototaxistas e de pedestres ao atravessar a faixa de segurança, uso da bicicleta e a mobilidade sustentável, justificativas dos motoristas para suas infrações e disputas nos estacionamentos, e a controversa relação entre a avaliação psicológica de motoristas e a segurança viária”, explica Fábio.

Compartilhe: